Convite Lançamento Projeto Rio Economia Solidária

Desenvolvido na esfera do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania – PRONASCI, o projeto Rio Economia Solidária tem por objetivo fomentar e apoiar o desenvolvimento da economia solidária como alternativa econômica e de inclusão social em quatro comunidades populares da cidade – os complexos do Alemão e de Manguinhos, a favela Santa Marta e o conjunto habitacional da Cidade de Deus. Nesses territórios, a SEDES vai realizar diagnósticos participativos para a identificação dos tecidos sócio-produtivos; formar e capacitar atores locais para atuarem como empreendedores solidários; apoiar materialmente empreendimentos solidários já existentes; fomentar a criação de novos empreendimentos econômicos solidários; e estimular a formação de redes sócio-produtivas.

O projeto inclui, também, a criação do primeiro banco comunitário carioca, na Cidade de Deus, que além de operar sistema alternativo de crédito, especialmente adequado ao perfil da economia local, vai realizar operações de câmbio com moeda social, de circulação restrita aos limites do território, para apoiar o sistema de trocas comunitário.

Neste esforço, a SEDES enfrenta ainda um gargalo antigo da economia solidária – o da comercialização. Rio Economia Solidária vai montar feiras de produtos solidários não só em cada um dos quatro Territórios de Paz do projeto, como, também, nos bairros de sua influência. O projeto beneficia diretamente 3.500 pessoas, entre mulheres, homens e jovens moradores dessas comunidades, com dificuldades de inserção na atividade produtiva e de maior vulnerabilidade frente ao mundo do trabalho.

Parcerias: Ministério da Justiça, Ministério do Trabalho e Emprego, Secretaria Nacional de Economia Solidária, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fundação Oswaldo Cruz, Observatório de Favelas, Ibase.

 

Publicado por

LASTRO

O Laboratório da Conjuntura Social: tecnologia e território, criado em julho de 1996, no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR) da Universidade Federal do Rio de Janeiro, tem, por principal finalidade, a valorização da ação social e dos estudos de conjuntura na pesquisa urbana, no momento em que a reestruturação econômica, apoiada nos fluxos informacionais e em novas orientações administrativas, altera oportunidades sociais, funções metropolitanas e o teor sócio-cultural da vida coletiva. O LASTRO encontra-se organizado em torno de uma proposta de trabalho eminentemente metodológica e transdisciplinar, que inclui o alcance de passagens analíticas, de difícil execução, entre esferas, níveis e escalas da experiência urbana brasileira. No desvendamento de uma metodologia adequada à análise de conjuntura comprometida com a dinâmica urbana, valoriza-se o ângulo da ação, onde outras opções analíticas privilegiam mudanças técnicas e tendências exclusivamente econômicas. Sem abandonar estes caminhos, o LASTRO adota, como seu norte reflexivo, as mutações no tecido social, manifestas através de alterações em representações coletivas dos contextos urbanos e em disputas de oportunidades de integração social. A ênfase na conjuntura corresponde a objetivos analíticos relacionados aos vínculos entre estrutura e ação, aos determinantes especificamente sociais da experiência urbana, à desinstitucionalização de relações sociais e à apropriação social de recursos materiais, técnicos e culturais condensados nos espaços metropolitanos do país

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s