Descolonização na Bolívia. Quatro eixos para a compreensão da mudança

De Periódico Pukara.

Em 2010, a Vice-Presidência da Bolívia e da Fundação Boliviana para a Democracia Multipartidária organizaram mesas redondas sobre os temasdescolonização, Estado Plurinacional multinacionais, a economia plural e socialismo comunitário. O diretor de Pukara Pedro Portugal Mollinedo, foi convidado nesta ocasião para apresentar um trabalho sobre na mesa sobre descolonização. Temos o prazer de oferecer aos nossos leitores que a contribuição, juntamente com os outros artigos apresentados naquele oportunidade e os comentários gerados através do pdf gerado pelo Vice-Presidência da Bolívia.

Acreditamos que a discussão desses trabalhos pode contribuir para precisar um conceito tão importante para os povos indígenas, como a descolonização.

Você pode obter o livro em formato pdf por solicitação através e-mail: info@periodicopukara.com ou baixar no seguinte link: http://www.vicepresidencia.gob.bo/Portals/0/documentos/4-ejes. pdf

Referências do livro: “Descolonização na Bolívia Quatro áreas para mudar o entendimento”, editada pela Vice-Presidência da Bolívia e da Fundação Boliviana para a Democracia Multipartidária, Paz, Dezembro de 2010.

Publicado por

LASTRO

O Laboratório da Conjuntura Social: tecnologia e território, criado em julho de 1996, no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR) da Universidade Federal do Rio de Janeiro, tem, por principal finalidade, a valorização da ação social e dos estudos de conjuntura na pesquisa urbana, no momento em que a reestruturação econômica, apoiada nos fluxos informacionais e em novas orientações administrativas, altera oportunidades sociais, funções metropolitanas e o teor sócio-cultural da vida coletiva. O LASTRO encontra-se organizado em torno de uma proposta de trabalho eminentemente metodológica e transdisciplinar, que inclui o alcance de passagens analíticas, de difícil execução, entre esferas, níveis e escalas da experiência urbana brasileira. No desvendamento de uma metodologia adequada à análise de conjuntura comprometida com a dinâmica urbana, valoriza-se o ângulo da ação, onde outras opções analíticas privilegiam mudanças técnicas e tendências exclusivamente econômicas. Sem abandonar estes caminhos, o LASTRO adota, como seu norte reflexivo, as mutações no tecido social, manifestas através de alterações em representações coletivas dos contextos urbanos e em disputas de oportunidades de integração social. A ênfase na conjuntura corresponde a objetivos analíticos relacionados aos vínculos entre estrutura e ação, aos determinantes especificamente sociais da experiência urbana, à desinstitucionalização de relações sociais e à apropriação social de recursos materiais, técnicos e culturais condensados nos espaços metropolitanos do país

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s