Seminário da Rede Iberoamericana de Globalização e Território

A Red Iberoamericana  de Investigadores sobre Globalización y Territorio (RII), A Red Iberoamericana de Editores de Revistas (RIER), A Red Iberoamericana de Postgrados sobre Políticas y Estudios Territoriales (RIPPET) e o Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (CEDEPLAR) da Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG

Convocam para o XII Seminario Internacional RII, V Taller de Editores RIER e X Encuentro de Postgrados RIPPET – Belo Horizonte – 01 a 05 de octubre de 2012.

Grupos temáticos

1. Sistemas produtivos locais, redes de inovação e desenvolvimento territorial

2. Desigualdades socio-territoriais

3. Desenvolvimento territorial, políticas e participação

4. Mudanças urbanas e metropolitanas

5. Transformações produtivas e dinâmicas territoriais

6. Cidades médias: transformações e perspectivas

 Datas importantes

Recepção de propostas (resumos): até 30 de abril de 2012.

Divulgação das propostas selecionadas: até 30 de maio de 2012

Recepção de trabalhos para inclusão no CD dos Anais: até 15 de agosto 2012.

Data de realização: 1 a 5 outubro de 2012.

Mais informações no site do Cedeplar

Publicado por

LASTRO

O Laboratório da Conjuntura Social: tecnologia e território, criado em julho de 1996, no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR) da Universidade Federal do Rio de Janeiro, tem, por principal finalidade, a valorização da ação social e dos estudos de conjuntura na pesquisa urbana, no momento em que a reestruturação econômica, apoiada nos fluxos informacionais e em novas orientações administrativas, altera oportunidades sociais, funções metropolitanas e o teor sócio-cultural da vida coletiva. O LASTRO encontra-se organizado em torno de uma proposta de trabalho eminentemente metodológica e transdisciplinar, que inclui o alcance de passagens analíticas, de difícil execução, entre esferas, níveis e escalas da experiência urbana brasileira. No desvendamento de uma metodologia adequada à análise de conjuntura comprometida com a dinâmica urbana, valoriza-se o ângulo da ação, onde outras opções analíticas privilegiam mudanças técnicas e tendências exclusivamente econômicas. Sem abandonar estes caminhos, o LASTRO adota, como seu norte reflexivo, as mutações no tecido social, manifestas através de alterações em representações coletivas dos contextos urbanos e em disputas de oportunidades de integração social. A ênfase na conjuntura corresponde a objetivos analíticos relacionados aos vínculos entre estrutura e ação, aos determinantes especificamente sociais da experiência urbana, à desinstitucionalização de relações sociais e à apropriação social de recursos materiais, técnicos e culturais condensados nos espaços metropolitanos do país

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s