III Semana Acadêmica da Geografia Campus Nova Iguaçu (SEMAGEO)

III SEMANA ACADÊMICA DA GEOGRAFIA CAMPUS NOVA IGUAÇU (SEMAGEO)

“Olhares sobre o ensino de Geografia: desafios e perspectivas”

Data: 28 de maio a 01 de junho de 2012

Local: Campus Nova Iguaçu / UFRRJ Instituto Multidisciplinar Av. Gov. Roberto Silveira s/n Moquetá – Nova Iguaçu

A SEMANA ACADEMICA DA GEOGRAFIA (SEMAGEO) teve sua primeira edição em 2010, com o surgimento do curso de Geografia em Nova Iguaçu e no ano de 2012 vai para sua 3a edição. O evento visa comemorar o dia do Geógrafo, um dia muito especial para nós. Com temáticas atuais, presentes no curso de Geografia, a SEMAGEO propõe como tema desta edição “Olhares sobre o ensino de geografia: desafios e perspectivas”. Com este eixo central, o evento tem como principais objetivos: apresentar e discutir o universo do Ensino de Geografia; refletir sobre a formação do professor- geógrafo; avaliar os desafios e novas perspectivas na arte de ensinar; discutir o papel do professor- pesquisador nas instituições de ensino; ressaltar a importância de formação continuada, e da participação de alunos e professores em atividades de pesquisa, extensão e ensino; bem como ressaltar o papel da Associação dos Geógrafos Brasileiros em relação ao ensino de Geografia. Assim, desejamos a todos(as) participantes uma boa SEMAGEO e um feliz dia do Geógrafo(a).

Para ter acesso ao folder de divulgação, clique aqui.

Publicado por

LASTRO

O Laboratório da Conjuntura Social: tecnologia e território, criado em julho de 1996, no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (IPPUR) da Universidade Federal do Rio de Janeiro, tem, por principal finalidade, a valorização da ação social e dos estudos de conjuntura na pesquisa urbana, no momento em que a reestruturação econômica, apoiada nos fluxos informacionais e em novas orientações administrativas, altera oportunidades sociais, funções metropolitanas e o teor sócio-cultural da vida coletiva. O LASTRO encontra-se organizado em torno de uma proposta de trabalho eminentemente metodológica e transdisciplinar, que inclui o alcance de passagens analíticas, de difícil execução, entre esferas, níveis e escalas da experiência urbana brasileira. No desvendamento de uma metodologia adequada à análise de conjuntura comprometida com a dinâmica urbana, valoriza-se o ângulo da ação, onde outras opções analíticas privilegiam mudanças técnicas e tendências exclusivamente econômicas. Sem abandonar estes caminhos, o LASTRO adota, como seu norte reflexivo, as mutações no tecido social, manifestas através de alterações em representações coletivas dos contextos urbanos e em disputas de oportunidades de integração social. A ênfase na conjuntura corresponde a objetivos analíticos relacionados aos vínculos entre estrutura e ação, aos determinantes especificamente sociais da experiência urbana, à desinstitucionalização de relações sociais e à apropriação social de recursos materiais, técnicos e culturais condensados nos espaços metropolitanos do país

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s