CONVOCAÇÃO DO COMITÊ CONTRA O GENOCÍDIO DA JUVENTUDE NEGRA E PERIFÉRICA DE SP

Ao Governo do Estado de SP;

Ao Governo Federal;

À Sociedade Brasileira:

 As redes de familiares de vítimas diretas da violência, as organizações do movimento negro, os movimentos sociais do campo e da cidade, cursinhos comunitários, sindicatos, associações, saraus periféricos, posses de hip-hop, imprensa alternativa, partidos e várias outras entidades representativas da sociedade civil, organizados no COMITÊ DE LUTA CONTRA O GENOCÍDIO DA JUVENTUDE NEGRA E PERIFERIA DE SÃO PAULO, diante da barbárie que vivenciamos em São Paulo, onde, desde de janeiro, mais de mil pessoas foram assassinadas, a grande maioria com evidentes características de execução e, pior, com indícios da ação criminosa de grupos de extermínio compostos por policiais e/ou agentes paramilitares ligados ao estado, exige:

  • Imediata reunião com o Exmo. Sr. Ministro da Justiça, Sr. José Eduardo Martins Cardozo, e sua equipe – especificamente com esta frente ampliada e unificada;
  • Imediata Audiência Pública com a presença do Exmo. Sr. Governador do Estado de São Paulo, Sr. Geraldo Alckmin, e do Exmo. Sr. Ministro da Justiça, Sr. José Eduardo Martins Cardozo;

Convocamos a toda sociedade brasileira, em geral, e a paulista em especial, a denunciar a violência do Estado e gritar por Justiça, Respeito e PAZ às comunidades periféricas, nos seguintes ATOS PÚBLICOS:

20 de Novembro – Marcha da Consciência Negra em SP – Cotas Sim, Genocídio Não, com concentração às 13h, no vão livre do Masp, na avenida Paulista, na capital paulista

22 de Novembro– Ato Contra o Genocídio, com concentração às 10h, na Praça da Sé – Centro – SP

ASSINAM

COMITÊ CONTRA O GENOCIDIO DA POPULAÇÃO NEGRA E PERIFÉRICA DE SP; ANEL / Dce-Usp; Apropuc-SP; Associação Amparar; Banco Comunitário Nascente (São Carlos-SP); Blog Bola e Arte; Campanha “Eu pareço suspeito?”; Campanha Contra o Genocídio da Juventude Negra; Campanha Contra o Genocídio da Juventude Negra; Campanha Reaja ou Será Mort@ (Bahia); CDH Sapopemba; Cedeca Interlagos; Cedeca Sapopemba; Círculo Palmarino; Coletivo Construção (Diadema); Coletivo Político QUEM; Coletivo Sarau da Casa; Coletivo Zagaia; Coletivo Zulmira Somos Nós; Comitê Popular da Copa; Comunidades Unidas (Itaquera); Construção Coletiva (PUC-SP); Condepe-SP; Contra-Maré.ORG; Cordão da Mentira; CSP Conlutas; Daruê Favela (Jd. Boa Vista); Destrava-São Paulo; Espaço Cultural Latino-Americano (ECLA); Família Rap Nacional; Força Ativa; Fórum Municipal de Hip-Hop; Frente de Lutas da Baixada Santista; FSP/USP; GEPEX-Unifesp Baixada Santista; Grupo Tortura Nunca Mais; Instituto Práxis; Jornal A Nova Demcoracia; Juventude Revolução; Kilombagem; LEAP/UfSCar; Levante Popular (Fortaleza-SP); Levante Popular da Juventude; LPJ; Luta Popular; Mães de Maio; MMRC/CMP; MNDH; MNU; Navozavez (Favela São Remo); Núcleo Akofena (Bahia); Núcleo de Consciência Negra da USP; Núcleo de Consciência Negra da USP; Observatório de Violências Policiais (OVP-SP); Pastoral Carcerária; PCB; Promove Vila Albertina; Psol-Santa Cecília; Quilombo Raça e Classe; Quilombo X(Bahia); Rádio da Juventude (São Vicente); Rádio Várzea; Rede de Comunidades e Movimentos Contra Violência (RJ); Rede de Educação Cidadã; Rede Nacional de Familiares e Amig@s de Vítimas do Estado; Rede Rua; Santos Mártires; Sarau da Ademar; Sarau dos Mesquiteiros; Sarau Elo da Corrente; Sarau Perifatividade; Sindicato dos Advogados de São Paulo; Sindicato dos Metroviários – SP; Sinsprev/SP; Sintusp; SOS Racismo; Tribunal Popular; UMES; UNEAFRO-Brasil; Uneafro-Itaquera; Vírus Planetário

AUDIÊNCIA PÚBLICA DA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO DA ALERJ

AUDIÊNCIA PÚBLICA DA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO DA ALERJ PARA DISCUSSÃO DA “CARGA HORÁRIA DE SOCIOLOGIA E FILOSOFIA NA EDUCAÇÃO BÁSICA” NA REDE ENSINO DO ESTADO.

DATA: 14/11/2012
HORÁRIO: 10 h
ENDEREÇO: Palácio Tiradentes, Rua Primeiro de Março, s/n., sala 313, Centro, RJ.

Para acompanhar o Rio Olímpico

01. Atrás da Porta

02. LEVA

03. Distopia::021 – Um Projeto de Cidade Global

04. Manoel Congo: uma ocupação urbana e comunitária intencional

05. O Legado Somos Nós: A História de Elisângela

06. Remoções no Rio de Janeiro

07. Morro Santa Marta na mira da política de remoções da prefeitura do Rio

08. Programa Habitação versão WEB – Remoções

09. A Caminho da Copa

10. Vítor Lira: poder público covarde no Santa Marta

11. Vidas Sem Lar: documentário mostra o drama da falta de moradia

12. Moradores do Pico do Morro Santa Marta terão que ser removidos

13. Urbanista Raquel Rolnik sobre desafios das cidades

14. Raquel Rolnik em Audiência Publica sobre megaeventos no Rio

15. Copa e Olimpíadas: dossiê denuncia violações de direitos humanos

16. Relatório TCU e a Copa de 2014

 

 

Mil famílias lutam contra despejo no Jd. Padroeira II – Osasco/SP

Publicado originalmente em Terra Livre, disponível aqui.

Desde 2005/2006 existe no bairro Jd. Padroeira II em Osasco/SP uma comunidade chamada Raio de luz onde vivem cerca de mil famílias. O terreno havia sido aberto para a construção do Rodoanel e abandonado desde então (2002). No final de 2011 a DERSA, que é uma empresa do Governo do Estado de São Paulo (PSDB) e proprietária da área, vendeu o terreno com as famílias dentro para uma empresa chamada Vega, que por sua vez entrou com um processo de reintegração de posse. Em reunião de conciliação com o judiciário a empresa se propôs a indenizar as famílias em R$ 2.000,00. Como se com dois mil reais desse para resolver o problema de moradia destas famílias.

Após várias tentativas de diálogo frustradas e um jogo de empurra-empurra entre Governo Estadual, DERSA, VEGA e Prefeitura de Osasco (PT) as famílias organizadas no movimento popular TERRA LIVRE em protesto bloquearam o Rodoanel no dia 14 de setembro, gerando grande repercussão em nível nacional para o caso. Somente após o travamento do Rodoanel as negociações começaram a avançar.

Fizemos uma reunião que contou com a Secretaria de Habitação do Estado de São Paulo, a DERSA, o dono do terreno e o movimento Terra Livre junto com a Associação Casa do Povo. Na reunião em questão Prefeitura e Estado, através de suas secretarias de habitação se comprometeram a encontrar um terreno alternativo para inclusão das famílias nos programa Minha Casa Minha Vida e Casa Paulista, ficando a prefeitura responsável por este novo terreno.

Enquanto o tempo passa, a justiça determina a reintegração de posse da comunidade Raio de Luz que pode acontecer enquanto o poder público diz buscar uma alternativa. As famílias e o movimento popular Terra Livre não vão esperar que uma nova tragédia como a do Pinheirinho aconteça: O PSDB e o PT (Estado e Prefeitura) serão responsáveis por um novo Pinheirinho.