Linhas de Pesquisa

1. Cultura, comunicação e informação: a nova face do poder metropolitana

A mais antiga linha de pesquisa desenvolvida no LASTRO, iniciada ainda nos anos 80, é até hoje mantida. Valoriza a afirmação da esfera cultural, especialmente a partir do últimos anos da década de 70, como epicentro da renovação da política e da economia no país. Através desta linha, tem sido realizados estudos dos impactos sociais das tecnologias de informação e comunicação, da imagem urbana, da memória social e da relevância da propaganda na promoção seletiva de lugares e de práticas sociais.

2 Políticas públicas e vida metropolitana

Nesta linha, desenvolveu-se o projeto de pesquisa Micro-conjuntura: informação e oportunidade nas metrópoles brasileiras , apoiado pelo CNPq, cuja principal meta é a criação de uma proposta metodológica dirigida à denominada cartografia da ação. Esta proposta corresponde ao valor atribuído, na totalidade das atividades do laboratório, à ação social (gesto e discurso) e à análise das políticas públicas.

3. Conflitos sociais: formas e escalas da ação

Esta linha de pesquisa reúne estudos sobre mudanças na manifestação dos conflitos sociais: culturas políticas; formas de organização; determinantes da reivindicação e do protesto; formação de atores e protagonistas; novos mediadores e assessores; configuração de arenas e alianças políticas; ação organizada e espontânea. Especial relevância é atribuída à visibilidade alcançada pelos conflitos, associada à difusão do meio técnico-científico informacional. Também em articulação com esta difusão, são estudadas alterações recentes na escala espaço-temporal da ação social.

4. Territorialidades e conjunturas sócio-políticas

Esta linha de pesquisa está dedicada às territorialidades formadas pela ação social, sob o estímulo de mudanças na conjuntura política.  Inclui o estudo de territórios relativamente estáveis (acampamentos, assentamentos, ocupações de imóveis) e territórios fugazes (interrupção de vias, ocupação de pedágios, trajetos criados pelos atores políticos).  Esta linha envolve estudos sobre:  representações coletivas;  formas de apropriação do espaço;  aprendizados entre movimentos sociais;  leituras do território e das oportunidades.  Nesta linha, utiliza-se a cartografia da ação.

5. Impulsos globais: planejamento e poder

Esta linha dedica-se à pesquisa de mudanças na composição dos vetores da modernização da sociedade brasileira. Valoriza-se, sobretudo, a articulação entre: alterações na cultura do planejamento; reestruturação da economia; divisão social e territorial do trabalho;  intervenção estratégica do Estado na configuração espacial do país e desiguais oportunidades de integração social. São estudados, ainda, os seguintes processos: transnacionalização do território, fragmentação territorial, colonização da rede urbana, formação de enclaves (guetificação-gentrificação).

6. Cultura, cotidiano e vida metropolitana

A linha de pesquisa está dirigida ao estudo de alterações no tecido social. Inclui a reflexão de valores culturais, a pesquisa do cotidiano e a análise de imagens e representações da vida coletiva. Apóia-se no exame da estratificação social e da estrutura de classes para apreender mudanças na reprodução social: modos de vida, práticas de consumo, inclusive de bens culturais, e usos do ambiente construído. Nesta linha, são desenvolvidos estudos sobre os limites do consumismo e do individualismo, a influência política dos meios de comunicação e a tensão analítica entre local e lugar.’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s